Melanoma

hemangioma-thais-pepe

 

Melanoma

 

Melanoma é um câncer de pele maligno que se origina das células chamadas melanócitos, células localizadas na epiderme e responsáveis pela produção de melanina, isto é, pela cor da pele. Representa cerca de 5% dos cânceres que atingem a pele, sendo de todos o mais grave.

 

Na maioria das vezes, melanomas manifestam-se em pessoas de pele clara; nos homens, no tronco e nas mulheres em membros inferiores, embora possam também manifestar-se em outras partes do corpo. Apesar de mais comum em pessoas de pele clara, negros e seus descendentes podem também apresentar a doença.

 

A doença surge na maior parte dos casos, a partir de “pintas” , devido a isso, é costume usar uma regra mnemônica conhecida como A, B, C, D para avaliação destas lesões: A, de Assimetria, significa que a lesão possui formato irregular; B, relativa a bordas irregulares, ou seja, os limites externos se mostram irregulares; C, a lesão apresenta coloração variada (diferentes tonalidades de cor, por vezes sem melanina; em áreas intra tumorais, pode-se notar coloração semelhante à da pele adjacente normal); D, o diâmetro da lesão é maior que 6 milímetros. É recomendável checar a sua pele pelo menos uma vez por mês usando um espelho. É uma forma de você conhecer o padrão de suas pintas, sardas, verrugas e perceber se ocorrer alguma mudança. Fique atento ao aparecimento de novos sinais na pele, ou crescimento dos que já existem.

 

Pontos da pele que apresentam mudança de cor, forma ou tamanho exigem uma consulta ao médico. Qualquer ferimento, caroço, mancha, marca ou mudança na aparência da pele ou sua textura pode ser sinal de câncer de pele. Portanto, uma consulta semestral ao dermatologista é essencial para um diagnóstico precoce.

 

Descoberto em seus estágios iniciais, o melanoma é quase sempre curável. Porém, se diagnosticado tardiamente, tende a espalhar-se para outras partes do corpo em um processo chamado metástase.